Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

de costas pr'ó mar

por Mariana Sofia

por Mariana Sofia

de costas pr'ó mar

10
Ago17

A Mulher do Plantador de Chá

Mariana Sofia

Sedutor. Arrebatador. Intrigante. Complexo.

Mulher_Plantadordechá.JPG

Um romance histórico que cativa do início ao fim. Um romance histórico com um final inesperado, mas que me desiludiu. Um romance que aborda os segredos que todos temos. E os medos também. Um romance que aborda as escolhas, as mais difíceis e que nos tiram o sono. 

 

'A Mulher do Plantador de Chá' é uma história rica, tanto em cenário como em personagens. É-nos apresentada, embora de que forma simplista, a realidade de Ceilão. Toda a realidade da mão de obra escrava que contrasta com a riqueza de uma só família, numa plantação de chá. É-nos dada uma visão da essência daquela gente que é feliz com o pouco que tem, principalmente as crianças. 

 

Uma história onde poucas são as personagens que compõem esta família. Cada uma com uma personalidade tão forte e característica. Uma aia fiel, que aconteça o que acontecer permanece fiel aos segredos mais obscuros da família que serve. Um homem rico, mergulhado no passado triste e obscuro, mas romântico e apaixonado à sua maneira. Uma irmã revoltada com a sua vida, sem nunca conseguir ultrapassar um desgosto de amor, sempre pronta a passar por cima dos outros para atingir o que pretende. Uma jovem mulher que tenta sobreviver com um segredo que assombra os seus dias em prol da sobrevivência da sua família.

 

É uma história que nos permite questionar o poder que os segredos podem ter. Segredos passados que condicionam o presente. Escolhas terríveis são tomadas em prol da sobrevivência de um casamento. Uma paixão, que nos tira o fôlego, é mais valiosa do que um filho? E no fim, será possível perdoar?

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagram, facebook e bloglovin'.

Podem ainda escrever-me para o email que se encontrar do lado esquerdo 

25
Mai17

Conspiração Terrorista

Mariana Sofia

Está um sol radioso. Ninguém diria. Fui brutalmente acordada às 4h da madrugada por uma tempestade tropical. Durante cerca de 1h choveu torrencialmente, e trovejou como se não houvesse amanhã. Quando acordei de manhã estava tudo limpinho, como se nada tivesse acontecido. Pensei até que tinha sonhado. Mas não. Foi real. E estranho. E, como já estamos fartos de ouvir falar no tempo incerto, vamos falar de coisas interessantes. 

 

Nos últimos 3 dias decorreu a Festa do Cinema. Uma das melhores iniciativas do nosso país. Todos os filmes, em todas as salas de cinema do país, a 2,5€! Espero que tenham ido ver pelo menos um filme! Os filmes não eram os melhores, mas lá havia um ou outro que escapavam. Vi os trailers todos. O único que me chamou a atenção foi a "Conspiração Terrorista". Acho que nunca vi um filme de ação do princípio ao fim. Muito menos numa sala de cinema.

95c6a703-ec61-41e2-8f1d-c0e7ed01fe9a.jpeg

É intenso. Sufocante. E chocante. Retrata uma realidade que se vive atualmente. Guerras ideológicas e políticas representando uma Europa assente num extremismo religioso, onde a influência vale mais do que a moralidade. A ameaça é biológica. A ameaça mata, mas antes provoca um sofrimento atroz. Uma agente da CIA vai tentar a todo o custo salvar Londres de um mortífero ataque biológico. É essa a missão que carrega às costas. E o poder de destruição de tal ataque é demonstrado numa criança. Tornando a imagem ainda mais chocante. No fim, acaba tudo como seria de esperar. Ou então não. Nem tudo o que parece é.

 

Um filme que nos faz questionar o porquê do terrorismo. O porquê de se matarem milhares de pessoas inocentes. Creio que nenhuma religião incita ao sofrimento alheio. O terrorismo é movido com que objetivos? Chegar a uma supremacia de uma religião? Dominarem o mundo? Aquele mundo que será constituído por cópias dos terroristas? Por cópias daqueles que não se importam de morrer para matarem tantos inocentes? Serão apenas valores religiosos que se levantam? Não serão também valores políticos e económicos?

 

O terrorismo é das coisas de que mais tenho medo. Porque gosto de viver. Porque nunca fiz mal a ninguém. Porque acho que podemos viver todos no mesmo lugar, respeitando-nos uns aos outros. Não precisamos de gostar todos uns dos outros. Não teria a mesma piada se gostássemos todos do mesmo. O respeito pelo outro é a maior arma contra o terrorismo. Isso, e o amor

 

Foram ver algum filme? Qual? Contem-me tudo!

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagram, facebook e bloglovin'.

Podem ainda escrever-me para o email que se encontrar do lado esquerdo 

18
Mai17

Coisas que nos diz o 🖤

Mariana Sofia

"Entra no teu peito; bate, e pergunta ao teu coração o que sabe ele."

(William Shakespeare)

coisasquenosdizocoração.JPG

Uma introdução perfeita que revela o conteúdo deste livro. Não me fascinou assim que li as primeiras páginas. Tive que fazer um esforço acrescido para mergulhar a fundo no pensamentos dos dois jovens. É um romance. E raros são os romances que me cativam. 

 

É mais um romance, com um fim previsível. Também é um romance com uma história diferente. Somos confrontados com uma forma diferente de trair. Com a dor de perder alguém de quem gostamos muito. Com o primeiro amor. E com uma nova oportunidade de voltar a amar. 

 

Um romance que me fez questionar o quão poderoso e destruidor pode ser um segredo. O quão assustador deve ser perder alguém. Um romance que fala sobre os ritmos da vida e da morte. Da culpa e do perdão. Mas acima de tudo, fala dos ritmos do amor. 

 

É um romance que consegui conjugar um transplante de coração com tudo aquilo que ultrapassa o saber médico e científico. Captou a dor e o medo. Captou a mentira e os segredos. Captou o amor e a paixão. Captou tudo aquilo que nos diz o nosso 🖤

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagram, facebook e bloglovin'.

Podem ainda escrever-me para o email que se encontrar do lado esquerdo 

10
Abr17

Os Bebés de Auschwitz | Nascidos para sobreviver

Mariana Sofia

Intenso. Emocionante. Chocante. Revoltante. Raiva. Ódio. 

IMG_5961.JPG

Haveriam muitas mais palavras para descrever o que foi entrar dentro deste livro. Foi talvez o mais intenso e emocionante que li até hoje. Demorei o tempo suficiente para o terminar. Tive muitas vezes que parar de ler, para tentar assimilar o que acabara de ler. 

 

Todos sabemos, muito ou pouco, com mais ou menos pormenores, o que foi o Holocausto. As atrocidades que foram cometidas perante milhares de inocentes. O nojo e a repugnância perante uma raça. Mas poucos sabemos o que é viver isso na pele. O sentimento que nos assola quando se entra numa câmara de gás e se pensa que é apenas um banho. Também não sabemos o que é viajar numa carruagem, onde outrora se fez o transporte de animais, atolada de pessoas. E ainda bem que não sabemos. Que não vivemos tal monstruosidade. Contudo, temos uma ideia. E, podemos sentir. 

 

A história de três mulheres que, de um dia para o outro, vêm a sua família ser dividida e desfeita. Perdem o rasto dos irmãos, pais, amigos, maridos. Três mulheres que mentem para salvarem os seus futuros filhos de um destino mais do que certo. Querem apenas proteger os únicos que ainda poderão viver. Eles nascem nos sítios mais inconcebíveis e inimagináveis, sem acesso a quaisquer condições. E a guerra acaba. Antes disso, estas mulheres viveram anos intensos. Sofreram. Amaram. Sobreviveram.

 

Uma história que nos transporta até aos campos de Auschwitz. Toda a viagem feita. Todos os sofrimentos pelos quais milhares de inocentes passaram. Todas as mortes. Uma história que nos faz questionar o porquê de tanto ódio perante uma raça. A história de um homem que mandou fazer tanto mal, para no fim desistir. Uma história que me fez sentir tudo aquilo que eles sentiram. E doeu. Doeu muito. 

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagram, facebook e bloglovin'.

Podem ainda escrever-me para o email que se encontrar do lado esquerdo 

20
Mar17

A Bela e o Monstro

Mariana Sofia

Obrigada Disney. Obrigada por terem feito parte da minha infância. Obrigada por terem criado filmes tão bons que me acompanham até hoje. Obrigada de 

 

Há filmes que são vistos no cinema, dê por onde der. Haja bilhetes com fartura, não haja. Esteja a sala cheia de pessoas que não se sabem comportar, ou cheia de pessoas que estão mesmo interessadas em ver o filme. Mas há filmes que tem que ser visto, obrigatoriamente, numa sala de cinema. A mais recente recriação da Disney foi o caso. 

pt_batb_flex-hero_header_r_265b761c.jpeg

Um filme sobre o amor. O amor verdadeiro. Sobre a maldade. Um filme que nos mostra que o mais importante é a beleza que vem de dentro. E não a que vem de fora. É o interior, onde poucos são os que conseguem chegar, que tem a nossa verdadeira essência. Na realidade, não será bem isto a prevalecer. A aparência importa. Mas não nos diz tudo. Muitas vezes, não nos diz nada. 

 

A maldade raramente vence. O karma existe. As pessoas são más. Só porque sim. Só porque querem sentir-se superiores. Fazem qualquer coisa para alcançarem os seus objetivos. Porque os fins justificam os meios, sempre. Não importa se passamos por cima de alguém, importa que alcancemos o que tanto desejamos. No fim, sofrem. Sofrem sozinhas. Eu acredito que sim. 

 

Gostei. E chorei. É a história mais bonita da Disney.

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagram, facebook e bloglovin'.

Podem ainda escrever-me para o email que se encontrar do lado esquerdo 

Descobre mais aqui

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

On Instagram

On Blogging

blogging.pt

On Bloglovin

Follow

Bloggers Squad Portugal