Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

de costas pr'ó mar

Mariana Sofia

Ter | 30.04.19

Bye, abril!

Um dos melhores meses do ano está prestes a terminar. A partir de agora começam os dias bons. E os bons dias. Começam as primeiras aparições nos paredões. E não falta assim tanto para o pé descalço na areia. Abril vai dar lugar a maio, e pelo meio as surpresas foram muitas e os reencontros encheram-me o coração. Que seja assim, para sempre.

 

Experiências gastronómicas e culinárias

Há muito que já não pego num livro de receitas. Até lá, vamos conhecendo alguns dos melhores sítios que por Lisboa se encontram. E sim, estou a falar da Sala de Corte – que recebeu as minhas 23 primaveras da melhor maneira. Almoçar com amigos é das melhores coisas da vida e se a Madpizza marcou pontos, a Capricciosa continua a ter um lugar especial no meu coração {e na minha barriga também, olha agora!}. Um Santini de maracujá e doce de ovo com pinhão abriu, oficialmente, a época dos dias quentes e cheios de vida.

abril3.JPG

abril2.JPG

abril7.JPG

abril6.JPG

 

Filmes, Séries e Livros

Há filmes que não precisam de pipocas. Nem doces, nem salgadas, e muito menos uma mistura. Há filmes que valem por si só. Há filmes que não precisam de grandes cenários. Um bom argumento chega.Green Book. Bird Box {original Netflix}. Há filmes que são bons, em todo o seu conjunto, mas não acrescentam nada de extraordinário àquela que é a nossa expectativa cinematográfica. A Hora Mais Negra. Guerreiros do Amanhã. E depois há aqueles romances, cheios de clichés, que juramos nunca querer ver. Mas há dias e dias – O Par Perfeito {original Netflix}. E ainda há o Dumbo. Se ainda não viram, fazem mal.

 

No meio de tudo isto, ainda terminei a 4.ª temporada {e última, pelo menos até agora}  Black Mirror. E comecei Narcos. A primeira temporada já marchou. Venham as outras duas, com violência q.b., por favor. Quanto a livros, regressei a Hogwarts e o Harry Potter e o Cálice de Fogo já não ocupa a minha mesa de cabeceira.

abril1.JPG

 

23 primaveras à espera de todas as estações

23 primaveras celebradas. A verdade é que ter 23 anos é igual a ter 22. E será idêntico quando tiver 24. O sorriso será sempre o mesmo, até ser velhinha. Os sonhos vão permanecer e a determinação para os realizar vai aumentando, a cada dia. A gratidão por todos os que permanecem não é passível de ser medida. É como a vontade de conhecer o mundo, infindável.

abril4.JPG

E planos para maio, já têm?

beijinhos **

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.