Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

de costas pr'ó mar

Mariana Sofia

Sab | 31.03.18

Desafio 52 semanas | Fico envergonhada quando

59778d6d56de3fca94b42dc8f7e6ee3d.jpg

 (imagem retirada do Pinterest)

Não gosto de falar de emoções. Em especial, daquelas que mexem comigo. Ficar envergonhada é um problema. Pelo menos para mim. Porque não fico levemente envergonhada. Parece que pintei as bochechas com caneta de feltro. Fico demasiado vermelha. E há pessoas que têm esse efeito em mim. E há situações que me deixam assim. Porque ficar envergonhada, deixa-me sem jeito. Completamente.

 

Fico envergonhada quando me elogiam. Sim, fico envergonhada quando dizem que sou gira, ou que estou especialmente bonita num qualquer dia do ano. Acho que é normal. Ou se calhar não é. Mas fico envergonhada quando elogiam as qualidades que poucos conhecem. Aquelas que fazem parte da personalidade, e não da beleza exterior. E quando elogiam as minhas atitudes, ui. Esqueçam, fico vermelha durante 10 minutos, pelo menos.

 

Fico envergonhada quando olham para mim e me arrancam um sorriso tímido. Estão a ver quando dois olhares se cruzam, e surgem dois sorrisos? Pronto, agora imaginem aqueles tomates bem vermelhinhos e maduros. Exatamente, eu fico assim. E só não percebe quem não vê lá muito bem. Eu bem tento controlar, mas é impossível. Não dá. E depois, digo que está demasiado calor.

 

Fico envergonhada quando me esqueço de alguma coisa importante. Ou quando tenho que ligar para algum sítio ou pessoa com quem não estou habituada a comunicar via telefone. Não gosto de chamadas telefónicas. Fico envergonhada quando vou carregada que nem uma burra, e deixo cair qualquer coisa. Mas não fico envergonhada quando caio. Levanto-me e vou-me embora, como se nada tivesse acontecido. Mesmo que seja a coxear.

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagramfacebook e bloglovin'.