Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

de costas pr'ó mar

Mariana Sofia

Seg | 09.04.18

Review // Harry Potter 3.0

HP_PrisioneiroAzkaban.JPG

Vou fazer uma pausa na saga do Harry Potter. Embora este não tenha sido o meu livro preferido, continuo a querer ler os restantes livros, e ver todos os filmes. Mas estou a precisar de voltar às origens. E tenho alguns livros na estante que estão a chamar por mim. Preciso de voltar à rotina do quotidiano com os meus thrillers, ou com um livro mais pesado como o Ensaio sobre a Cegueira.

 

J.K. Rowling escreve livros de fantasia como ninguém. Não que tenha lido muitos livros deste género literário, mas dos que tentei ler, nenhum foi capaz de me conquistar. Até começar a ler Harry Potter e todas as suas peripécias no mundo da magia. Em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, a ação desenvolve-se mais rápido, e as peripécias do George e do Fred Weasly fazem-me rir tanto, que não têm noção. O Snape já me irrita. Já levei com um spoiler a seu respeito, mas nada que eu já não imaginasse. A meu ver, é um personagem com uma vibe demasiado negra para lecionar a disciplina de Defesa contra as Artes Negras.

 

A cada livro que leio, as minhas ideias a respeito do Quidittch só se confirmam: é um desporto demasiado perigoso para ser praticado em cima de vassouras, debaixo de um temporal tremendo. Mas, ao mesmo tempo, deve ser uma sensação fantástica poder voar, olhar para baixo e saber que conseguimos fazer aquilo que um simples muggle não consegue. Já sabem que gosto de sentir a adrenalina a correr nas veias.

 

E, eis que surgem novos personagens, demasiado obscuros para eu acreditar que vou conseguir ver os filmes à noite. Os Dementors que nada veem, e que debaixo do seu capuz guardam um segredo capaz de deixar qualquer um pior do que morto. Na verdade, estes personagens não serão nada mais do que a representação das pessoas tóxicas com quem nos vamos cruzando. Só alguém muito frio e sem qualquer tipo de sentimentos por si, e pelos outros, é que é capaz de sugar a felicidades dos outros.

 

Além disso, estou sempre a ser surpreendida. O Croockshanks enganou-me. Achei que era ele que ajudava Sirius Black. E aquele rato do Ron, o Scrabes, que nada mais era do que um Animagnus. Quem é que aguenta viver 12 anos na pele de um rato? Gostei do Sirius Black. Achei mesmo que ele ainda tinha muito para viver. Afinal, quem é que é capaz de não ver a alma desfeita por um Dementor?

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagramfacebook e bloglovin'.

9 comentários

Comentar post