Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

de costas pr'ó mar

Mariana Sofia

Qua | 11.07.18

Review // O Fabricante de Bonecas de Cracóvia

Fabricante_Bonecas.JPG

Mais um livro sobre o Holocausto, e sobre o que foi o terror nazi. Mais um livro que nos mostra as atrocidades e desumanidades cometidas contra milhares de inocentes. Mais um livro que nos mostra a aversão e a repugnância perante uma raça. Mais um livro que, sob uma perspetiva diferente, nos mostra que muitos foram os que não conseguiram escapar à barbárie, acreditando sempre que os seus filhos, pais, netos, irmãos, tios e primos iriam conseguir sobreviver.

 

É um livro que demostra de uma forma excecional o poder do amor e do instinto de sobrevivência nos momentos mais obscuros, em que não sabemos o que nos está destinado, mas imaginamos.  É no meio da guerra e da dor infindável que tomava conta dos que iam e dos que ficavam no gueto, que surge a magia e a esperança. Porque é essa magia e esperança que mantém vivo o amor e o instinto de sobrevivência numa época em que o racismo, o medo, o ódio e a xenofobia dominavam grande parte do mundo.

 

Erich Brandt representa todos os que escolhem a crueldade e a intolerância, porque é sempre mais fácil a conformação do que a contestação. O padeiro Dombrowski representa todos os que preferem ignorar e fechar os olhos às atrocidades que acontecem à sua volta. E Cyryl, o fabricante de bonecas, representa a coragem e a compaixão de todas as pessoas que, mesmo com medo das represálias e de acabarem por ter o mesmo destino dos judeus, os ajudavam a sobreviver a mais um dia. Porque a escolha daquilo que queremos fazer é sempre nossa. E Karolina sabia disso. Porque onde há magia, há esperança.

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagramfacebook e bloglovin'.

 

4 comentários

Comentar post