Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

de costas pr'ó mar

Mariana Sofia

Qui | 17.05.18

Sunshine Blogger Award 3.0

É verdade, hoje trago-vos a 3.ª edição do desafio Sunshine Blogger Award. Vocês já sabem as regras. E também já sabem que sou uma rebelde, e que não as cumpro todas. Porque ando sem grande inspiração para fazer perguntas giras e diferentes de todas as que têm sido feitas. Ainda assim, tenho que agradecer à Débora, que tal amavelmente me nomeou. E igualmente grata, estou à Carta fora do baralho, que também não se esqueceu de mim. Já vos disse que gosto muito destes desafios? Certamente já.

21008161_0pZEz.jpeg 

Débora // A Maria e o Não

* O que te levou a querer escrever?

Deitar cá para fora aquilo que me vai na alma. Tenho sempre muito para dizer, qualquer que seja o assunto. Às vezes basta apenas uma simples palavra, e nunca mais me calo. E não só de fotografias se fazem as recordações. Mas não escrevo tudo o que digo. E também não digo tudo o que escrevo. Há momentos para tudo.

 

* Quem é a pessoa que mais te inspira desde sempre?

A minha mãe. E o meu pai. Pelo empenho e dedicação que colocam em todos os desafios a que se propõem. Pela força que me transmitem em tudo aquilo em que me meto. Por superarem todas as adversidades da vida sempre com a mesma garra e determinação. Nada fica por fazer. A vida é curta demais.

 

* O que farias se ganhasses o Euromilhões?

Comprava uma casa. Com piscina, óbvio. E com uma biblioteca, igualmente óbvio. Ah, e comprava um carro. Ia conhecer o mundo inteiro, sem me escapar nada. Ia conhecer todos os continentes, de uma ponta à outra. E sim, iria continuar a querer encontrar uma oportunidade de emprego que me realizasse.

 

* O que achas de fazer voluntariado?

Acho que é das melhores coisas que se podem fazer. É uma experiência demasiado enriquecedora, principalmente a nível pessoal. E acho que todos deveriam passar pela experiência de ajudar aqueles que pouco ou nada têm, e que agradecem todos os dias. Um dia gostaria de ter a oportunidade de fazer voluntariado com as crianças africanas. Têm tão pouco, e mostram-nos um sorriso lindo.

 

* Como e onde seria a tua casa de sonhos?

Já que posso pedir, queria uma casa no Parque das Nações. Podia ter uma cozinha ilha, com sala de refeições incorporada. Uma sala de estar com sofás grandes e muitos puff’s. E com lareira, claro. Uma biblioteca incorporada no escritório. Tantas casas de banho, quantas as pessoas que lá irão habitar. Um jardim com aquele baloiço de madeira, pendurado na árvore. E uma piscina, para poder ficar próxima da praia, quando não me der jeito atravessar a ponte.

 

* Já pensaste em mudar de país?

Viver noutro país? Não. Mudar de hábitos, não conviver com as minhas pessoas diariamente, falar uma língua que não é a minha diariamente? Não é, de todo, a minha cena. Para viajar, convidem-me a conhecer todos os cantos do mundo. Não sou esquisita. Agora para viver ou só trabalhar e uma mudança muito drástica. E eu não gosto de cenas drásticas.

 

* Quais as línguas que gostarias de aprender?

Inglês. O meu nível de inglês é mediano. Tenho um curso por acabar. Dá para desenrascar, mas não dá para apresentar um programa televisivo. Gostava de o melhorar, mas a sério. E falar quase tão bem, como falo português. E talvez gostasse de aprender espanhol. Não gente, quem fala português, não fala espanhol. E também não arranha. O “portunhol” não existe, e para fazer figuras tristes, mais vale estar calado.

 

* Com quem te dás melhor? Com a mãe ou o pai?

Com os dois. Às vezes choco mais com o meu pai. Outras vezes, choco mais com a minha mãe. Depende das situações. Falo mais abertamente com o meu pai sobre uns assuntos. E com a minha mãe sobre outros. O normal, portanto.

 

* Quais são os teus livros e filmes preferidos e porquê?

Não tenho filmes ou livros preferidos para a vida toda. Vou mudando consoante as circunstâncias. Por isso, o meu livro preferido do momento é da Jodi Picoult, “O Poder das Pequenas Coisas”. E o meu filme preferido, também do momento, é o Moonlight.

 

* Qual é que achas que é a tua melhor qualidade?

Sinceridade. Sempre fui assim. Agora com mais filtros, é certo. E ser sincera, não é apenas para mostra aquilo que nos desagradou. A sinceridade também se aplica às coisas boas. E às que podem ser melhoradas. E ser-se sincero não é apenas dizer o que se pensa, quando se quer, e da forma que calha. Ser-se sincero é saber escolher as palavras certas, para cada momento. Aprendi isso da pior forma, mas aprendi a ser verdadeiramente sincera. A expressar as minhas opiniões, sem magoar aqueles de que mais gosto.

 

* E qual é o defeito que mais detestas em alguém?

Traição. É que não há espaço para uma segunda oportunidade. Nunca. Never. Jamais, e em tempo algum. As traições são imperdoáveis. E as desculpas que se usam são hilariantes. Gente, quando um não quer, dois não fazem. São sempre precisas duas pessoas para dançar o tango. Ou a valsa, é como preferirem. Quando estagnou, não dá mais, acaba-se. Ponto final. Fim. Finito. Nada nesta vida dura para sempre.

 

Blog // Uma carta fora do baralho

* Se não tivesses que dormir, o que farias com esse tempo extra?

Isso é que era uma cena do caraças. Ups, desculpem-me os modos menos apropriados. Eu gosto muito de dormir. Mas, ao mesmo tempo, acho que é um tempo tão mal aproveitado. Se tivéssemos a mesma energia sem precisar de horas de sono, fazia exatamente tudo aquilo que faço durante o dia, mas em dobro. 

 

* Que emprego seria péssimo para ti?

Lavar casas de banho públicas. E as senhoras da limpeza deverão ser as que mais estimo, neste mundo vasto do trabalho. Porque as pessoas são porcas. E aposto que as suas casas de banho não se encontram no estado miserável em que deixam as que são para uso público. Quer dizer, pelo menos assim o espero.  

 

* Qual é o pior hábito que consideras que as pessoas têm?

Fumar. Fumar para cima das outras pessoas. Tipo, podiam afastar-se, e respeitar os que não querem levar com isso? Agradecida.

 

* A que cidade/país não gostarias de voltar a visitar?

Poucas são as cidades que conheço. E ainda nenhuma me desiludiu, ao ponto de considerar não voltar. Mas há um país que não tenho lá grande curiosidade em visitar, mas sem razão aparente, a China. 

 

* Qual é a tua melhor qualidade?

Não vou repetir o que disse em cima. E qualidades temos sempre mais do que uma. E a lealdade também é uma delas. Quem está comigo, levará sempre o melhor e o dobro de mim. Aquilo que me dão, recebem em dobro ou triplo.

 

* Se o teu melhor amigo pudesse descrever-te numa palavra, o que diria sobre ti?

Não sei, porque não uso essas diferenciações. Já deram demasiados problemas. 

 

* Quais são as tuas séries favoritas?

Olha aqui um post sobre isso. E aqui outro. Logo dois, e de uma só vez. É, eu sou assim.

 

* Quais são as tuas férias ideais?

Praia. Sol. Calor. Chinelo no pé. Livro debaixo do braço. Toalha ao ombro. E um gelado ou uma bola de Berlim.

 

* Qual é a tua forma de relaxares depois de um dia stressante?

Uma limpeza de pele profunda. Uma boa série. Ou um bom livro. 

 

* Quais são os 3 emojis mais usados por ti?

Depende do dia da semana. E do humor, mais ou menos negro, quando acordo. Mas são estes, essencialmente.

🙄✌🏼💃🏼✨😂

 

* O que estás mais entusiasmado para fazer daqui a 10 anos?

10 anos? Ai, isso é demasiado tempo. Não gosto muito de fazer planos para o futuro. E confesso que também não gosto muito de revelar os meus planos. Principalmente porque correm sempre mal. É, serei sempre demasiado supersticiosa.

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagramfacebook e bloglovin'.

6 comentários

Comentar post