Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

de costas pr'ó mar

Mariana Sofia

26.02.18

Pavlova de Chocolate com Chantilly

Tudo aquilo que sei sobre culinária e, principalmente sobre pastelaria, é graças à minha mãe. Não há ninguém que cozinhe melhor do que ela. Podem tentar, mas não chegam aos seus calcanhares. Ela até vos pode dar a receita, mas não vos dá as mãos. E todo o empenho e carinho que coloca em cada prato. Por isso, e porque eu quero, hoje a sua mais recente receita veio parar aqui ao blog. Ela queria fazer de uma forma, acabou por sair de outra. Ainda se enganou a fazer as contas ao (...)
14.09.17

A mousse de chocolate

Já se habituaram. Ela gosta de fazer sobremesas. Ela até tem jeito para a coisa. E aproveitam-se dela. "Ai, apetecia-me tanto uma coisa doce." ou "Há tanto tempo que não como uma sobremesa." Negócio fechado, eu faço as sobremesas porque se assim não for, também não as como.  Não gosto de bolos. Gosto de sobremesas de colher. Daquelas que dá para meter o dedo e ninguém nota. São as que mais gosto de fazer. E, esta foi bem rápida e com apenas 2 ingredientes. Uma mousse de (...)
09.08.17

Kacaoland, tudo com muito chocolate

Como já deu para perceber, tenho uma relação especial com o verão, com o chocolate e com tudo o que me meta um 'sorriso de orelha a orelha'. Posso prescindir de muita coisa, mas se há coisa de que não abro mão, é de aproveitar ao máximo os dias quentes e longos.  E, antes de ir para Armação de Pêra ainda houve tempo para ir experimentar mais um espaço, onde o rei é o chocolate. Kacaoland é um espaço que se situa na Rua dos Fanqueiros, 140, Baixa. O espaço não é muito (...)
28.04.17

i m p o s s i b l e | 1

Do fim de uma coisa, podemos começar outra ainda mais especial. O fim da semana é sempre tão esperado por toda a gente. Queremos ir descansar. Recuperar energias. Fazer coisas novas e bem mais divertidas que a rotina da faculdade ou do trabalho.  Por isso, decidi dar início ao i m p o s s i b l e, que não é nada mais, nada menos, do que coisas sem quais seria (quase) impossível sobreviver. Umas serão mesmo verdadeiras. Outras serão apenas desejos ainda não concretizados. Mas (...)